A comunidade planctônica por ser extremamente sensível a pequenas variações ambientais é a mais indicada nos monitoramentos ambientais. Além desta, os Macroinvertebrados que habitam o sedimento também são utilizados, pois certos poluentes que a princípio podem ficar suspensos na coluna d’água podem futuramente chegar ao fundo podendo afetar também esta comunidade.

A Acqua Consulting oferece os serviços de coleta, identificação e quantificação dessas comunidades, e te ajuda a interpretar e correlacionar os resultados com os dados ambientais, conheça abaixo quais comunidades você pode utilizar e sua função dentro de um monitoramento:

Fitoplâncton
São considerados os produtores da cadeia alimentar aquática, englobam as algas microscópicas, unicelulares, isoladas ou coloniais, e filamentosas que flutuam preferencialmente na superfície das águas, sendo responsáveis por 98% da produção de oxigênio do planeta. Habitam tanto corpos d’água de origem doce, como salobros e salinos. Algumas espécies destes organismos são consideradas indicadoras de qualidade, e algumas delas, quando em abundância, são responsáveis por produzir toxinas que podem causar grande impacto ao meio ambiente.

Zooplâncton
Considerados a porção animal do plâncton, os organismos zooplanctônicos são os responsáveis por transferir a energia do fitoplâncton, para os níveis tróficos superiores, já que são os únicos capazes de consumir estes organismos fotossintetizantes. Pode ser subdividido em diferentes categorias em função do tamanho, posição na teia trófica e hábitos alimentares, e se passam parte (meroplâncton) ou todo (holoplâncton) o seu ciclo de vida no plâncton. Por estarem estritamente relacionadas, muitas alterações observadas na comunidade Fitoplanctônica pode também causar direta ou indiretamente alterações na comunidade zooplanctônica.

Macroinvertebrados bentônicos
São a comunidade de organismos que vivem no substrato dos ambientes aquáticos. São compostos por moluscos, gastrópodes, crustáceos, larvas de insetos, dentre outros. Os Macroinvertebrados bentônicos são também considerados bons bioindicadores, porque são geralmente mais permanentes no ambiente, vivendo semanas e até meses no sedimento, se adaptando ao mesmo. Refletindo assim, o nível de preservação, das condições naturais ou as alterações provocadas no ambiente. Estudos desta fauna contribuem para uma melhor compreensão dos sistemas aquáticos, no que se refere à avaliação da qualidade da água e a elaboração de ações visando a conservação da biodiversidade local

Ictiofauna
Conjunto de peixes que vive em uma determinada região. Os peixes são considerados excelentes indicadores das condições ambientais, pois podem refletir os distúrbios em diversas escalas, devido as suas características de mobilidade, estilo de vida e por sua posição próxima do topo da cadeia alimentar. Além disso, a presença de espécies exóticas ou de espécies em extinção pode ajudar a entender melhor sobre as mudanças ambientais locais, e comportamentais das espécies.